Augusto do Anjos o que diria?

Sol la fora, e eu aqui dentro sempre estou aqui dentro.
La fora, flui, aqui dentro é uma viagem.
Viagem longa, sabes o tamanho dos axônios e dos dendritos?
Ligação e conflito já se encontra no mesmo pé da animação.

Animar, Ânima..sem animo, não anima, Ânima eu sem ela.
Sera que reencarno? hoje somente encanação, e olha que não como carne.
Desenarcado, sem aros, solto sou os aros a descer o longo declive.
Clave de sol, sem luz sou eu.

Para o poeta 100 anos de solidão, 50 acredito já estar bom.
Sou aquele átomo de carbono, sem pauta.
Sou a pauta sem texto, o livro já lido, a prosa e o verso, sem contexto.
Não crio mais pretexto, assumi as paginas amareladas, brochura sem abrir.
Incrível para muitos que usaram a espatula e viram as primeiras paginas.
A historia parecia uma aventura, hoje sou o drama, a poesia.

Te entendo Augusto dos Anjos.
Poesia que dilacera e o fruto e´resultado do destino, que te ferra.
Destino, deveria ter outro nome, pois UM só é suficiente.
Não suporto outros dez, sem tino eu estou.
Escarnio, escracho simplesmente ou comoção.
Ri e estrangula os que sentem, do calabouço a comemoração.

Devem dizer:Destruímos mais um poeta, e o seu resultado.
Ledo engano nesse pensar, que de alegre somente o significado.
Ele tem força mas esta equivocado, que trucida não é o resultado,
mas sim o sadismo executado com alegria na execução.

Mais um executado com fama de coitado pois não suportou ser açoitado.
Pelo destino desgraçado, resultado mau calculado ou pelo sadismo?
Saberemos no final do filme ou ficaremos com o final para ser feito
por cada um de nós.
Filme de Terror , sem solução que vai ganhar o Oscar Póstumo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *