Arquivos da categoria: ITUVERAVA

E eu que não ficava nem vermelho.

Moleque é um ser inconsequente e como eu era um moleque nesses moldes,

Quem poderia atestar isso aqui com propriedade eram as Trapoerabas-roxas,

as que me conheceram e as que conheci poderia ter o nome repetido por duas vezes,

acho até que poderia começar essa lembrança com esse titulo:

Os apontamentos das Trapoerabas-Roxas que ficavam Roxas de raiva,

quase uma redundância, hoje fico triste pelo que fazia como moleque, existia uma parte de um canteiro que era repleto dessas Trapoerabas-Roxas em Ituverava, tudo era propicio Ituverava da terra roxa com as Trapoerabas-Roxas que ficavam roxas de raiva comigo.

Ituverava as vezes também ficava roxa de raiva, alguns amigos ficavam roxos de raivas,

até o padre da igreja quando me via pegava a batina com detalhes roxos.

Passava com minha bicicleta que era azul, pelo meio das Trapoerabas que floriam rápido, sempre o ano todo elas estavam ali,  eu sempre passava com a bike entre elas, mas o pior não era isso, quando saia correndo para ir a rua passava pelo meio delas dando chutes, onde muitas eram cortadas e arrancadas.

Confissão que me dói o coração, mas foi assim mesmo, infelizmente, hoje fico triste e arrependido, Trapoerabas são roxas por suas cores ou elas são roxas de tantos moleques fazerem o que eu fiz? Esta bem você que leu esta roxo de raiva com o que fiz e com essa piadinha  infame…

Fogão a lenha.

O cheiro da lenha no local, impregna nas telhas nas vergas nos caibros o cheiro da lenha é único, as telhas escurecidas saindo do ocre indo para o negro e assim vai ficando, mistura-se com o cheiro das cascas de laranjas penduradas sobre o fogão, o cheiro da madeira verde molhada que sai junto a fumaça branca, desenhando formas no espaço,  naquele espaço único que não importa quem esta ao lado, quem são os atores daquela casa se faz presente ali por um instante e para sempre na mente de quem presenciou ou sentiu o cheiro da lenha, do milho a brasa o ferro quente, o fogão vermelho, o piso com vermelhão os pedaços de cebola que cai ao solo que podem ser pisados ou novamente devolvido para o fogo que queima sem parar, estalos e mais estalos, a lenha se acomoda e a fumaça incomoda os olhos arde, e hoje ficam na memoria que importância tem no momento que importância tem nesse momento?

Não importa afinal não tinha portas tudo aberto uma varanda em que os atores ali ficavam a maior parte do tempo, cachorro solto no chão, vento que bate nas faces, o som do moer a pimenta ou o café, o rodar do café na torra, o arroz na panela de ferro, o feijão que engrossa a colher de pau o fogão que é a atração o fogão que não tem pokemons o fogão que não tem velocidade o fogão que não registra nada, o fogão que ali queima enquanto os que com sua fumaça se afogam, memoria que nos da vida e que nos entristece, como eu poderia ter saudade de um fogão? Como eu poderia ter saudade da telha negra, como poderia ter saudade do espreguiçar do cão, da água bebida no bico da torneira o anil que era colocado na roupa, da água com sabão que correria pelo bico da tanque até o chão, a velha panela que quando não usada ficava encostada no pé da jabuticabeira que dava seus frutos o ano todo, graças a água jogada. Quantos pássaros coloquei para fora da gaiola na ansia que eles pudesse já ter se acostumado comigo e ficaria ali pela casa, quanta água jorrou da caixa d’água que encheu, quantos pães que passei manteiga e mergulhei dobrado no copo de massa de tomate, que ainda continha o elefante estampado? Quantos tapetes não molharam e quantos outros minha avó não chutou? Quantos e quantos baldes de água não foram ali jogados para limpar o chão para depois ser encerado e passado o escovão?

Veneza tem os seus encantos mas a fumaça nas telhas é inesquecível.

Corretivo da Dona Basílica interpela, corretor do Iphone.

Basílica era antes do cristianismo uma grande área coberta e que depois no cristianismo se tornou local de culto.

Temos varias empresas de telefonia móvel que com certeza não poderia ter esse nome as áreas cobertas por elas é bem pequena e restrita.

Celulares e suas torres, no Brasil precisariam ser corrigido, principalmente seus corretores

Prestam um desserviço a grande ajuda do “corretor” de “imóveis”, ops corretor do “Molecular”,  “corredor de celular,” nos leva  a uma unanimidade os usuários como um todo ou até os que comem pouco, já disseram e até já gritaram: – Eita “Corredor” do “carvalho”…Corretor FDP…ufa até quem enfim consegui “matar”, *mandar o celular a “pulga que partiu” * Essa,  acho que não preciso corrigir.

Dona Basílica em Ituverava , nossa brilhante professora e que trás saudade a todos, não tinha esse recurso tão maravilhoso e que serve hoje para toda hora trocarmos o ‘papel”, com ele, nós que corrigimos esse brilhante recurso do Iphone 6 que veem com ainda mais palavras que sempre nos  faz  passarmos vergonha e termos que usar o asterisco a todo instante, o meu asterisco já esta “asteristico”, “característico” nos meus postes, ops…posts.

Massa de macarrão basilar seria o resultado para busca pelo nome da professora no celular,  Dona Basílica que não era assim tão básica para uma professora do ensino básico que tanto se dedicou ao progresso de seus alunos.

Imagine só um celular aberto na aula dela?Com certeza ela passaria um corretivo que funcionaria na hora, e se não funcionasse a interpelação o giz seria “carteiro”,  cacete de corretor. *Certeiro.

Dona Basílica certa vez contou uma historia de um amigo  que escrevia uma carta para o outro  que se chamava Diogo e errou logo no inicio dela, e escreveu:

-Amigo Digo…Não tinha corretor na época, a borracha não estava com ele no momento para apagar e não querendo rabiscar  e seguiu a escrevendo e tentando corrigir o erro:

-Amigo digo no lugar que digo, digo. Não digo,digo, digo DIOGO.

Vejamos como fica no Iphone, hoje:

Abrigo Dilma,  No lugar que dygú , Dilma dygú, Anta.

Esse corredor é igual ao relógio que atrasa, não adianta.

O que a saudade nos  faz, saudade da  Dona “Catedral”Ops…Dona “Tetralda”, * Basílica, nunca pensei em dizer isso, mas preferiria o corretivo dela. Corretor do “Catete”.

Não me canso de falar, que não sou da Lacônia.

Mudando um pouco de assunto de pato para Ganso.

-As cinco da manhã sou melhor.

-Parastes para pensar, que tem uma hora do dia em que somos melhores de pensamentos? Até o trem parece passar em outra cadencia.

Taí uma hora e somente nessa hora que sou lacônico quase mudo em outros horários eu mudo muito sou para lá de cômico ia dizendo que quase chato, mas não economizarei palavras chato mesmo, uma chatice Espartana.

Acho que não sou quadrado termo já ultrapassado, alguns alçam comentários de que na seção de achados e perdidos sou o mala…a mala que alçam estou quase sempre sem alça, alço altos voos enquanto falo, enquanto eles ficam a baixo da critica aos meus olhos,  chato isso mas não me deixa chateado, chateio mesmo e olha que sou bom nisso.

Não sou quadrado não sou de fazer rodeios sou contra eles em toda sua forma, de dar voltas ou de subir em cavalos e olha que já dei meus pulos hoje, preferiria pular esse momento da minha vida, mas tal qual a escrita não se deve pular um paragrafo si quer, se quer ser escritor não se pode esquecer que a vida ou a morte que te traz elementos e pensamentos para ser processados em sua narrativa.

Arredondando essa historia de ser ou não quadrado fiquei em uma sinuca de bico, cai no triângulo das bermudas já escrevi sobre o triângulo quando fiquei de calças curtas sempre o maldito dinheiro quando não se tem e o bendito quando ele sobra, taí uma coisa:

Dizem que não necessitamos viver de sobras das pessoas mas quando se trata de dinheiro a coisa muda. Vou me calando pois de lacônico estou agora sendo o seu antônimo…. Eu me derretia todo  para o sorvete do senhor Antonio Marceneiro…aquilo sim que era sorvete, lembro que chegava correndo com o corpo quente encostava no balcão afoitamente e ele dizia calma…calma, fica frio já estou pegando a casquinha, para colocar o sorvete,  sempre parava por ali, aproveitava também e tirava uma casquinha dos outros sorvetes…o meu preferido era o de Ameixa, as vezes ele dizia para com isso não mecha com a pazinha nos outros sorvetes se já levou a boca por que senão azeda tudo, ele  sempre muito doce com a criançada,nunca respondia rispidamente de posse de sorvete nas mãos lambia aquela iguaria sem usar a pazinha, a casquinha era de biju, lambendo-a sem saber, treinava os futuros beijos.

Putz acho que encanei agora e incarnei o Luciano do passado com esse tal sorvete, vou voltar a dormir quem sabe não sonho com ele ou com os sonhos que ficavam na pequena vitrine ali ao lado, juntamente com os suspiros…Pronto agora retornando do passado e suspirando volto ao meu leito e  me deito todo esparramado, naquela época eu ainda tomava leite e quando ia me servir quase sempre entornava-o em mim,bom estou em duvida….durmo agora que já são seis da manhã e esta no horário do café da manhã? Ou acordo? Assim como o leite, café também não bebo…e por falar em beber, já bebi demais essa noite estou de ressaca…Putz que papo chato, sou mesmo chato…fico aqui dizendo e lembrando sempre que sou Frugivoro…alguns até acham que fico contato papo…1, 2, 3, 4.

 

A tocha Olímpica em Ituverava

Chegada da tocha olímpica em Ituverava, entrando pelo posto do Katorinho e do Beto Cinzeiro, quem vem conduzindo lado a lado é Gravatinha com o Sr Tinasi ao lado, sua filha sempre protegida pelos irmãos era a moça de olhos claros, gravatinha com seu calção acima do umbigo é seguido pelo senhor Tinasi juntamente com Dr Japonês (lembram o seu nome?) o Kavalo do Tinasi jogava basquete na porrada, isso frente ao posto do Moria sendo flertado pelo Pinguela, na frente do Nelson da bateria recebe os aplausos do Pai do Zé Dirceu na Dacar, homenagem a tantas corridas feitas por ele no Paris Dakar, Tio Zito com seu Tl vai agora saindo pela rua de trás, assume agora a tocha Gimirão, alguns dizem Gemerão..com seu novo luque, uma chapinha feita com ferro quente no fogão á lenha, com seu sorriso emblemático seu short com as cores do Paulistano do “largo véio”, e dizendo que a luz que prometeu para o bicão estando de baixo de um poste de luz , via as pessoas que não tinha roupa nova passar o ferro na “véia” e ir,  vai acenando para o pessoal do hospital do Dr. Nelson que não pode ir acenar pois dava uma dura no Nelsinho e Zé Anibal pelos cavalos de paus na avenida. Os Maedas somente davam risadas com o Pastel olhando para o Mario Ide, Sargento do Tiro de Guerra esta ali em sua casa fazendo continência com seus filhos um escrevia para contar na sala de aula de historia já o Pádua estava fazendo o levantamento de quantos por metro quadrado estava ali na avenida, e em qual cota do terreno, Já a Tomie Kikuda, não conseguiu levantar, Seu Ramon Trigo com seu sorriso, segurava a Leninha no colo, com a Dona GÊ segurando em seu braço, Ramonzinho estava com o Glauton ao lado da 125 laranja. Uma tremenda festa, a fanfarra estava ali na rua ao lado padaria ituveravense, o trajeto com a tocha era cumprido rigorosamente, Zé Maurício esperava com vários folhetins debaixo do braço, com sua bolsa de couro ao lado do corpo usando um tipo de pape-te também de couro, ajustando com uma mão os óculos, O super Mercado Degiovani uma aposta da prefeitura para trazer novos empregos já funcionava, a bicicletária que não imaginava vir a ser uma sorveteria no futuro era vizinha do bar da dona belinha, ali era uma farra só, Dudú com a vitoria nos ombros, Camila com seu charme levava um copão de Whisky com água com gás á boca, deixando cair um pouco no solo, sobre o Tizar, Já o Baluzinho tentava chavecar a Dedé com aquele papo de aranha, discutindo a queda do barril de petróleo e seus” implicamentos” no alambique da nega fulo, o Luciano Prado com uma nova dor na Perrrna, um carioca da gema, Léa Cristina em baixo da Mesa com o Luiz Fernando trocando os óculos para ver melhor, “só tião”, olhava para Tia Ana e dizia só por Deus, Tia Célia com seu sorriso olhava suas crias, enquanto o Paulo de Tarso fazia um brinde com a Maria Áurea, a Vó Sinhá deixara de ir a missa pois o kaverão tinha avisado que não poderia estar com ela na comunhão pois tinha perdido a guaiaca e o Irsão, ria muito sobre o olhar da Luiza reprovando aquilo tudo, Sérgio e Rita ficavam no reservado, não se misturava pois o Serginho já começava a dar uns pegas na Raquel, a junção de um RNA mensageiro com a Óptica, Nana com as camisetas hang ten e o Professor com as lentes sempre levadas aos olhos, tudo vindo com O Nadir Cury e sua linda esposa. Chegando agora na casa do Chaebub, ali encontra-se todos do chiclete juntamente com os garoas kadão tim, sucuri, Marcão de quebra o Yoneda o Furuntanga o Furuntanguinha, hoje conhecido como : ô Pirata. Silvino Magno com sua risada caracteristica com sua sombrancelha esquerda levantada fazia cara de não me toque para todos, um verdadeiro gentleman da dinastia de Alexandre Magno. Tio Seninho dava uns lopping por cima da avenida tia edna, ficava de olho nas filhas a Cleusa tinha saído de moto cinquentinha azul do Hugo a Leila toda perfumada ficava ali na esquina com a Ieda e seu irmão pentelho , ao Lado do Elias carneiro, o Calixtrado de Oliveira Campos trocava figurinhas com o Fausto e o Salão Rex, O Manesinho do mocambo faturava alto com as vendas de café e suco, tudo supervisionado pela Tereza Lopes, O David também faturava horrores e agora com a tocha os sorvetes de ameixa nas casquinhas, saiam como se fosse uma tocha na mão de cada um a Maria Emília estava com o Abraãozinho de tira colo, assim como A Ana sorria para o Camilinho que leva o seu toca fitas TKR auto reverse tirado da bandeja do fusquinha branco que ficava ao lado do passageiro, precisava de um TOJO para equalizar melhor o som das fitas basf c 60 que ele gravava na associação com seu fone de ouvido nunca utilizado no ouvido…Ali a turma do Interact comandada pela presidentA Leda com o seu vice- Paulo Piratininga gritavam…Não vai ter golpe…do alto do prédio do banco de Minas Gerais, dava para ver os Tanajuras, como diziam a beleza da mulher não esta na cara, tanajura…CTBC, com seus  granitos imponentes contrastava com a finada Pernambucana né Silvana? Turma do Chiclete ali reunida com o Thianão puxando o coro de viva o Brasil, viva ITuverava, Viva a Vardete, viva a alicatinho, onde anda o Machadinho e o Zé véio, cade o alazão bebi agua da cachoeira e conhaque do treques bar…e todos dos chicletes em coro gritavam, Pino para prefeito, Tim de vereador o Chumbinho juntamente com mais um INHO o Juninho do Pino , apartavam as latinhas de skol. O jeferson loiro acaba de encostar a perua amarela ao lado do Jorjão Abud, Dió e irmãos ali chupando um picolé da casa jardim…Beth com seus irmãos puxando a turma do rosa de lima, e a Rossana Bombing jogava melhor que o Fabinho..outro inho, o nosso Mobral, o Nel o boateiro, ficava anotando tudo que via ali a sua frente,  Agora o Orlando Rego, vai para a pira Olímpica da cidade em baixo da caixa d’água esperar a tocha, Abobrão pega a tocha sai correndo e nisso tira a camiseta e aparece a do São Paulo, quebrando todo o protocolo, aplaudidíssimo pela Maria da Boneca que com seu Radio vermelho escuta toda a transmissão pela ZYK 8, o Delaine conta os picolés que ela tinha vendido, estourando uma de sua chinela havaiana no corre-corre. Dr augusto esta la em cima na sacada quase em frente a Pernambucana ao lado do Comind, no Relogião a Multidão se separa Gustavo Borges ali no colo da professora Diva seria um dos maiores atletas Olímpicos, enquanto a Diva só namorava o Trajano, nisso o  Jamelão começa a brincar com a Luciene e Gisela que por sua vez grudadas ali na Lizene e o Carlinhos com sua irmã glaucia dava para distinguir pelo cabelo…cara de um foucinho do outro. A Ana Carrer com seu irmão, seguravam a mão das primas, tudo isso em clima de festa quando de repente o João Altino com sua moto e o joão cometa saem em uma barulheira seguidos do Zeca Terra Nova, fazem a escolta do movimento, toninho da torrefação entra também com sua moto BMW, seguido do Juninho Vocês escolhem ou o do Clay com o seu Tio, ou o Juninho do Nelinho …inho é o que não falta. Agora a tocha apaga, correm ali no bar do macaco para comprar um bic que acende milhões de vezes e desistem por causa dos preços praticados..mesmo assim ele segue, agora pedem emprestado a “binga” do bodinho que joga la de cima da casa do tio do niltinho, que assistia de camarote a passagem da tocha, chegam agora no jardim, o senhor que cuida fica louco expulsando todos de cima da grama, ali em baixo da caixa d’água acende a pira olímpica que ficou conhecida com a única pira acessa em baixo d’água, sem contar a campanha de vacinação contra a Rubéola foi feita ali…umas armas que furou e marcou os braços de todos,  a Grécia é aqui gritava o Guru e toda a equipe da associação, o pessoal que estava ali na festa do caixão…também acenavam e com o hino nacional tocado pela furiosa, a tocha foi acessa…o Tarumã olhava para a sorveteria rainha para ver a concorrência, a padaria dos turcos estava fechada o Roberto também fechara a padaria sobre a desaprovação do Conrado, o largo véio em peso, a vila são jorge, o bicão todos ali irmanados, O Fabão com o tigrinho e o Tonhão observam de longe a ordem o Cerso com a Dona Maria do cine regina, estão lado a lado com o João da Vitamina…lá de cima do Caiçara as rolinhas observam as lacerdinhas estão nos olhos de muitos ali em baixo do Ipê roxo, até a fonte do jardim foi iluminada com seus jatos de água coloridos nossa eu acordando agora…deveria ter bebido menos, ao lado da cama encontro a Binga do Bodinho e saio correndo olho pela janela e vejo Sampa…não vou contar para ninguém isso que vi, com certeza irão Afirmar …É “tóchico”

Noticia urgente da ZYK 8: Games of Trones “passará” no Cine Regina.

Games of Trones, era entre o pessoal do “largo véio”, Vila São Jorge, bicão e Estação, todos em luta para poder ser sócios da A.A.I, ou presidente do clube. Suicidar do alto da torre do hotel Caiçara por ter visto o incêndio criminoso na biblioteca municipal ao lado da Igreja,  todos seriamos parecidos ao personagem Jon Snow, por que de lá de cima…CAI-ÇARA a morte não ocorreria. Ressuscitar ficaria difícil mas os causos vamos desenterrando-os.

O Wattsapp nunca vingaria na nossa época, mas nunca mesmo, “necas de pitibiriba”, vocês conseguem imaginar o Wattsapp com as funções de Copiar e Colar em um Grupo administrado pela Dona Cilda e com a Dona Basílica? Já a função encaminhar seria a mais usada, encaminhar para a diretoria. Vejamos:  Grupo do Fabiano Alves de Freitas, A foto do Grupo uns grãos de milhos atrás da porta, no Rosa de Lima a mesma coisa, já o João Beber que tomava pouco e Octacilio De Paula e Souza que não bebia, não poderiam ser administradores de grupo…pois eram do ginásio. Recebi agora uma mensagem com um abaixo assinado pedindo:  “Wartezapp” logo…

Nessa época de Festa Junina teríamos o nosso correio elegante o Snapchat as prendas sendo leiloadas não mais pelo Chico Paca, com o seu 22 dois patinhos na lagoa ou o Raso….zero, agora o site de “vaquinhas” na internet, viram a Dilma? Putz entenda o da “vaquinha” para ela viajar.. ou os Partio da vida fariam o rateamento para vender os frangos embalados com aqueles plásticos coloridos, o verdadeiro embalo de Sabado a Noite, com direito a dança, cantoria e tirada de cabelo da testa com o movimento do pescoço do “Korega”.

Lava Jato já naquela época de guaraná com rolha e o guaraná da DON sabor maça tudo já  era um grande acontecimento assim como é hoje em Curitiba com o Juiz Moro, na “cachoeira” entravamos com os carros  próximo a ela em baixo da ponte onde lavávamos com o jato la jato de água do Rio do Carmo. O nosso Moro ou melhor o Muro que também não era o nosso mas sim da Associação Atlética Ituveravense, era escalado pela molecada com o Cebion a frente e nãoé que o Nagib Nassif é igualzinho ao pai…logo ali na Frente do Marx Nicolino que era quase “germinada”a do Kepler filho da professora de piano e onde Beth Miranda morava com sua renka de irmãos, Beth Balanço ainda não tocava na radio ZYK 8, o Valizi que para alguns eram uma frasqueira, para outros um mala, mas eu em particular curtia e curto hoje seus vídeos no Youtube. A Fazendinha K8 dava de 10 a zero nas TV 4k, estávamos muito a frente olhando por esse prisma as ondas da Radio do José Maurício Amendola, com o DJ Carlão estava muito a frente : No ibope deu que a ZYK 8 a “Radia” esta á frente da TV 4k. Estava sempre á cima das outras da região, mandava seus sinais do alto da nossa “quase” Kingdom Tower (ou Jeddah Tower) olha ai o Caiçara novamente.

Essa nossa Ituverava em narrativa dá mais séries que o Games of Trones, isso sem falar na lagoa das éguas e os Dragões que alguns amigos meus do Chicletes saiam…deixa eu parar por aqui se não chego na sétima temporada, quem assistiu Flash Gordon sabe o que é uma boa série de Cinema, THE END.

 

Parque Recreio, eu não creio que deixaram de fazer por você.

Largo do Rosário, largaram o Rosário, largaram a Rosa largaram a reza.

O que reza, o que resta? Não se tem mais arestas, não se tem mais nem mesmo aquelas somente estas.

No parque recreio que deveria ser para recreação mudou-se a situação largaram também em péssima situação, o que resta? Desolação.

Hoje sou a Puta da transliteração, Largo velho e me encontro moço quem destruiu o recreio do parque, já sabemos quem destituiu e não se tem alvoroço, os calabouços ou os cala moços estão ai, e o parque sem cuidados e as putas sem se prostituir, será que acabou Ituverava?

Sou a puta do largo velho sou o negro da Vila São Jorge, sou o pé rachado do bicão, sou o kaverão ,sou a estação, até o alazão do Vitor.

Grito de gol do Gemirão, Gibizinho, bacurau, Paulistano, Maria Gerisa bloco da Princesa, quanta genuinidade para uma só cidade quanta nobreza e realeza.

Não sou o prefeito, não sou a burguesia, sou da zona sou da estação sou da periferia

Como eu preferia a cidade com suas verdades e muito menos essa hipocrisia.

Onde esta a cidade que conhecia?

Onde estão as putas os negros a zona e o Salto Belo?

ASSALTARAM O SALTO BELO, sem salto sem pompa sem os calçados do Quatrini.

Essa hoje é a nossa vitrine

Triste realidade triste fim de ano, triste se encontra o Luciano parafraseando enquanto os pseudos maiorais estão se cagand…

Fica aqui a minha saudade do Fabiano,

Por onde passamos e bombávamos e descíamos para a cachoeira onde nadávamos,

O Rio do Carmo…tinha o bosteiro,

Hoje temos o Prefeito que não olha mais para Recreio,

Acho que os que amam a cidade e a cachoeira assim como eu, chora…um rio de lágrimas…

Só cego não vê,  será que é verdadeira essa afirmação?

Só cego não percebe o parque recreio como esta?

Sossego demais da população? ou sossego da administração?

Turismo cabe melhor para nossa cidade do que presidio, poderíamos ter um prefeito que fosse voltado para essa linha…ou será que a cidade e o parque recreio não tem potencial?

Escrevi nossa cidade…saudade de quando a Zona era somente no Largo velho.

Tinha mais dignidade, meus respeitos ao Largo Velho, e meus sentimentos pelo parque LARGADO de velho.

Credito imagem para Thiago x Bruna.

 

Leonidio, alfaiate de Ituverava foi proprietario do Corinthians.

Ituverava que foi a cidade escolhida para a mais grandiosa ação com efeitos holográficos, a primeira vez que esses efeitos foram usados em um palco deixou o mundo intrigado e boquiaberto, foi a aparição no palco do Rapper morto Tupac Shakur interagindo com Snopp Dogg.

Em Ituverava seria recriada aquela final de campeonato onde até poucos dias era discutida e motivo de inúmeras ações no fórum da cidade a ultima delas prescrevendo há meses atrás, recentemente a confissão de um dos acusados termina com as duvidas um dos maiores atritos dentro do mundo futebolístico da cidade. Dois campeões no mesmo campeonato.

Com isso os efeitos holográficos seriam projetados em  telas maiores e mais altas  das que tínhamos no cine Regina colocadas estrategicamente em volta de todo o estádio da Associação Atlética Ituveravense.

No inicio das projeções, teríamos a imagem do Tigre do Ramal correndo saindo La de dentro dos vestiários e correndo por todo o campo,dando um salto pulando sobre o gol e saindo do campo para a tela do bar do seu Antonio marceneiro, as pessoas ali que não poderiam entrar no estádio veriam ao vivo La em cima na parede a imagem holográfica incorporar a quadro pintado a óleo.

Um grande empresário da cidade que atualmente não mora mais ali, apaixonado por futebol iria patrocinar tudo, por ter tido parentes que jogavam no passado na cidade, onde se destacava a Ituveravense fazendo bonito no campeonato paulista, tinha esse sonho, para alguns pode parecer ridículo, mas era o sonho desde criança.

Tudo programado não foi à frente, fiquei sabendo agora que tudo terminou no momento em que foi revelado pelo jogador do time do “Corinthians de Ituverava”, que chutara aquele pênalti na mão do ‘Mão “de Onça que substituiu ao “Póy’

Naquele momento da partida tinham vários batedores por ali, Garoa, Gibi, Salata, até o Bacurau brigava com o Niquilé para fazer a cobrança, apitando estava o cunhado do Dirigente e proprietário do Corinthians, dono de uma alfaiataria na Av Dr Soares de Oliveira, senhor Leonidio, jogo era contra a Vila São Jorge, quem não queria que o Mão defendesse o pênalti era o Fogão, tinha uma grande rixa com o juiz, Macarrão, que estava ali para apitar.

Naquela época Fogão dirigente do Time da Vila, que não era a Belmiro, já trocava a frase que dizia: ‘o pênalti é tão importante que o presidente do clube que teria que bater’, na versão dele, Fogão, dizia: que era tão importante que era o presidente do clube que tinha que pegar, parecia o Vicente Matheus de Ituverava, nas respostas era tal qual.

“”Alcunha” que Leonidio não tinha a mínima inveja, afinal era ele o Dono do Corinthians alem de ser o presidente, o roupeiro e o mais importante o dono da bola, alem de ‘costurar” vários conchavos futebolísticos na região

Na arquibancada coberta tínhamos a transmissão da Globo local a ZYK 8, na narração do inconfundível “Gimirão” com seu penteado mais comportado naquele dia de final o baixinho da barbearia tinha feito uma permuta para que ele anunciasse para próxima semana desconto para os guardas do tiro de guerra e ele Gimirão deixasse de ir até o salão Rex para cuidar de suas madeixas, e olha que eram “mas’ mesmo.

O Adão dando os seus saltos o precursor e idealizador do Pakour em Ituverava, corria do Zé veio que já tinha trocada segunda havaiana naquela semana correndo atrás do adão.

O morrinho estava lotado, caminhões estavam estacionados ao longo da Rua Euclides Barbosa Lima, com suas carrocerias lotadas, as pessoas em pé esticavam o pescoço para poder ver aquela cobrança o futuro do Corinthians ali nos pés do José Mauricio Amendola, que pensava com ele com suas chuteiras de couro, se fosse dono de um jornal estamparia a minha foto na primeira capa, batendo esse pênalti, suas chuteiras com cravos de plásticos com pregos fixando-os.

Em suas pernas um risco de sangue proveniente da maldade do beque central, que o atingiu  na disputa com Poy o goleiro que saia do gol para sofrer o drible e se contundir em seguida.

“José Mauricio e o gol, somente os dois, era só ‘cutucar” quando por trás foi ‘calçado”, a marca deixada pela chuteira comprada na loja do Caco era testemunha ele foi marcado pela Viola, marca da chuteira do momento, será que vai marcar?

Era essa a cena que seria refeita com a tecnologia usada no show do Snoopp Dogg. Tudo em três dimensões, holografia, muito dinheiro envolvido, transmitido para vários países, tudo refeito tudo revitalizado, todas as torcidas representadas, estação, paulistano e tantas outras.

Tudo termina quando recentemente o Palmeirense que jogava no time do Corinthians o senhor José Mauricio Amendola contou que chutou nas mãos do “mão de onça” porque estava negociado com o Barcelona, foi dai que surgiu o apelido para o Mão de onça que hoje tomou o lugar do Gimirão na arquibancada e é um dos mais respeitados locutores do Brasil.

Será que o Neymar vai ter a mesma coragem?

O empresário que iria bancar e reviver essa final que levou os dois times a ser campeão tal qual aquela do Santos com a Portuguesa é filho do Leonidio Joaquim Teixeira, seu pai morreu sem saber a verdadeira historia. E o José Mauricio Amendola é o Palmeirense que jogou no Corinthians.

Cuidado com o que pensa e com seus desejos, hoje ele pode estampar em seu jornal a foto que guarda como lembrança desse jogo na gaveta de sua escrivaninha, só não faz por que tem medo que algum torcedor entre em sua redação e a destrua.

“Pedaladas” em Ituverava?

Lembro dos suportes para estacionar as bicicletas no Instituto feitos de madeira, entre aquelas pedras britadas.

Lembro das pedaladas quando enfeitávamos as rodas das bicicletas com papel celofane com as cores dos Brasil nos raios

Lembro das pedaladas que eram dadas para se converter açúcar em algodão doce.

Algo tão doce que não esqueci lembro também das pedaladas dadas em sua “magrela” pelo senhor que vendia bilhetes e tinha somente uma perna.

Lembro das pedaladas nas monaretas com freio “de pé”, lembro das crianças enfiando suas pernas para pedalar nas bicicletas monarks, eu andava em uma de mulher da Caloi, com manetes azuis e filetes de plástico pendurados.

Lembro das pedaladas necessárias para andar de mobylete, lembro não das pedaladas dadas pelo padre com sua batina, lembro das mulheres sentadas na garapureira  com as duas pernas para um lado, com suas saias ao som de Galopeira.

Lembro das pedaladas que não eram dadas descendo da “estação”, ou descendo para a cachoeira, levantado cascalhos com o guidão trêmulo.

Lembro quando batia o pedal na canela, lembro quando parava a bicicleta na sarjeta encostando o pedal e dando um giro na roda de traz para sei lá o que?

Lembro do sargento parado na sarjeta com sua bicicleta sem pedalar.

Lembro que para pedalar tinha que emplacar a bicicleta na prefeitura.

Lembro da “luizona” pedalando com seu radio de cor vermelho, preso na garupeira da bicicleta fixado por “câmera de ar” de pneu de bicicleta.

Lembro do Masaiko e da dona Maria levantando a bike pelo “silinho” para rodar os pneus da bicicleta, lembro deles afundando a câmera de ar para achar o furo

Era a bike do Toninho que era motorizada e não precisava pedalar?

A Dilma pedala e não quero me lembrar. Não dá pedal.

Rio do Carmo…E eu aqui nervoso.

A vida te direciona, você já se sentiu direcionado? Acho que até uma certa idade você consegue subir a nado a correnteza, chega um momento que você é forçado a descer o rio contra a sua vontade já não tem mais forças, o Rio do Carmo que nadava quando criança tinha somente os rebojos que tínhamos que evitar, mas o rio da vida te leva com a rapidez da correnteza do tempo, você é tragado, consegue permanecer boiando com a cabeça para fora, sem forças. Tenho vergonha por ter deixado ser levado correnteza a baixo, por não poder gritar, não consigo gritar tenho vergonha, estou a deriva, a boia de pneu de caminhão escrito piscina errado em seu corpo, podia ser levada a associação nem ela tenho mais.

Estou a deriva na vida, no leito do rio que me leva para baixo rumo ao nível do mar, quem dera ficasse nele, estou abaixo no nível como homem estou abaixo,  um ser menor mas foi o destino? Aprendi no cristianismo que não tem destino, no candomblé que existe na psicologia que repetimos padrões, e com alguns que tudo não passa de auto-sabotagem.

Acho que todos estão com a razão eu que não estou, já estive hoje sou um nada, isso mesmo, antes achava que era algo hoje a coisa esta virada.

Mas aprendi, sou um cara cheio de cultura de experiências e de vivências mas e dai?

Você as vezes não tem culpa mas para os de fora sempre temos culpa, a vida é quem comanda a vida é quem tem as rédeas.

A vida te leva o Zeca Pagodinho tinha razão em partes, deixar a vida te levar tem consequências a vida não é justa, não existe justiça no viver, o ideal de justiça divina fica somente para as paginas dos livros e para o imaginário.

O que vale a experiência no mundo de hoje, a experiência que não pode ser convertida em dinheiro?

Pronto voltei ao passado sou o Kaveirão nada me abala, agora estou melhor, sei que tenho algo bom pela frente, vou colocar minha calça verde oliva com pregas na cintura as barras italianas, um cinto marrom um sapato tipo cavalo de aço, cueca verde inteiriça usar um vitess e sair para o pilec, o baile na associação vai levantar o meu moral, ainda bem que não é os três do Rio já não aguento mais eles e a Fafá de Belem não volta mais aqui…

Aqui? nossa eu viajei na maionese…falar em maionese e o Jorge Maionese?

 

 

 

Infância com sofrência.

A casa com cheiro da fumaça do fogão a lenha o teto da cozinha com a cor negra as telhas de barro revestidas em algumas casas um varal secava as cascas de laranja o desenho de varias elipses esticadas, lembrava o seriado Túnel do tempo (Time Tunnel) uma maquina que foi criada pelo governo dos E.U.A no subterrâneo do deserto do Arizona.

Em Ituverava tínhamos poucos inventores a criançada não passava dos carrinhos de rolimã, ou o jogos de queimadas a noite ou os pega pega que eram chamados de “cadeirinha salvar”, balança caixão, passar anel e tantos outros.

O amor era valorizado o namoro era valorizado naquela época, pelo menos para alguns que namoraram  por anos e anos, 9 anos 10 anos, via a menina muito pouco, falar ao telefone era caro os números o da casa de minha avó era 21-29, discar sem pagar era pegar o telefone e batendo no local onde desligava fazia a sequência rápida e completava a ligação diz a lenda que não era cobrado, vai saber…

Tinha casos de ficar meses sentando ao lado da namorada no cinema sem tocar nela, e quando ia pedir a menina em namoro e ela dizia:

-Vou pensar…

Era a morte..ficar aguardando o outro final de semana ou sabe-se la quando teria a resposta. Pablo não sabe o que é sofrência.

Quando não aceitava a gozação dos amigos era certa, a frustração era certa. Quando recebia um sim, era uma nova etapa, aguardar meses para pegar na mão, ou para dar um beijo, sair de mão dada então era terrível, os pais ficavam passando de carro pelos quarteirões, a 10 por hora de longe quando você avistava o carro era um tal de largar a mão e ficar próximo aos amigos como que nada tinha acontecido, tinham os pais mais expertos que vinham a pé no meio daquele footing.

A inocência do namorar era por causa da época? por falta de informação? os pais eram mais severos? hoje é melhor?

Confesso que no passado tínhamos não sei se mais amor, ou mais inocência ou idealismo, hoje na era do Tinder falar o que?

Sei que o Cinema era o lugar onde quase tudo acontecia, o trocar de cadeira para sentar junto com a namorada era quase que sempre, o que atrapalhava era a Dona Maria com a lanterna.

Nas cozinhas as coifas os fogões elétricos os tetos com forro iluminação com lâmpadas de LED, as panelas Le Creuset os master-chefs da vida, enquanto o bife na chapa era a sensação, eu nunca pensei que seria frugívoro, o túnel do tempo a série hoje trocada pelos zumbis, matar zumbi no cinema é a moda, zumbi pode ser morto a vontade.

Zumbi dos Palmares era tema da Princesa Isabel, que vontade de voltar no tempo para esquecer o desastre de Mariana e o ataque em Paris.

Como gostaria de ser apenas o Kaveirão que colocava as cascas de laranja no fogo, aguardando sair o arroz, e virar o milho verde ali “no pé” do fogão para depois comer sentado no degrau da escada, sempre com o olhar atento da bolinha… eita cachorrinha brava.

Bom vamos ver para onde a maquina vai me mandar de volta…e olha que já me mandaram para vários lugares que não é bom falar.

 

Estou preso a varias hipóteses. ( PRESIDIO NÃO )

O por que de um Presidio em Ituverava? fiquei me perguntado e buscando os motivos. Seria por causa da Cachoeira, será que entenderam errado, não pode ser que seja isso pensei k com meus botões, antes tínhamos o parque recreio com vários bichos presos que sou contra mas era um point para o turismo em Ituverava, seria essa a primeira hipótese? Ai pensei querem trazer o Bicheiro Carlinhos Cachoeira para ficar no presidio, imagina a repercussão as fotos ao lado do Carlinhos Cachoeira ‘quanta aparição” na TV. Mas nós já temos a nossa Cachoeira linda esta ali para tirar fotos e ser cuidada mas será que daria a mesma repercussão? Hipótese 1 Totalmente descartada.

Ou pensam em trazer o Fernandinho Beira Mar, pois o nosso Rio do Carmo esta em frangalhos, nem mesmo se pescam mais no “bosteiro”, olha que a cabeça de muitos poderiam ser um bom poço para pescaria. A final um Riozinho desses não da ibope, ficar ali na barranca dele tomando sol, não é a mesma coisa do que estar junto ou a Beira Mar, tirando fotos com ele. Hipótese numero 2. Totalmente descartada.

Associação com o trafico, com o jogo do bicho seria isso ou continuando no Salto belo tínhamos o nosso lava jato, muitos no passado entravam com seus carros sob a ponte da Cachoeira e lavam ali seus carros, era um programa de domingo, seria a associação com a operação Lava Jato, levar o Vaccari… para estar no presidio? E o pior que eu já estive sendo procurado para ir ao presidio…estou fora desse e de qualquer outro, mas voltemos a associação de imagem, com a operação lava jato, imaginemos Cachoeira, Beira Mar, Lava Jato… Hipótese 3. Totalmente descartada.

Associação de imagem é a tônica para o marketing, vende e como vende…pegar um artista famoso e fazer isso, lembram no passado usavam-se artistas famosos para vender títulos de clubes,  isso já “FASANO”  que não vemos mais, será que precisamos dessas associações? Também não poderia ser isso já temos a nossa Associação Atlética. Em tempos atrás foi até mal falada mas não é o caso hoje, portanto ali também não deve ser o motivo. Hipótese 4. Totalmente descartada.

Nossa cidade tem um povo devoto, fiel temoroso a Deus, um povo religioso, pensei não pode ser isso também essa ideia não é para prender esse povo Devoto esse povo não se vende ou seria  para prender quem compra votos? Mas isso é coisa de um passado distante da época dos coronéis, e acontecia mais no nordeste que se tem conta, nunca em Ituverava . Hipótese 5. Totalmente descartada.

Presidio para pegar quem foi e por que de terem  trocado o nome do Hotel,  impossível pois é de direito a troca de nomes tudo dentro da lei agora se as  pessoas estão sem cuidados no âmbito da saúde, isso não tem nada com  quem trocou o nome do hotel, dizem por que antes a pessoa caia e se curava (caiçara) hoje o serviço deixa a desejar a pessoa cai e continua doente, sem muito assistência. Hipótese 6. Totalmente descartada.

Aqui dentro de nosso pais não estou achando os motivos, seria para cenário de filmes, até imaginei a visita do Rodrigo Santoro fazendo a segunda parte de Carandiru, ou Birdman of Alcatraz, mas já tivemos o nosso “homem de álcool atrás” que se regenerou fiquei sabendo que se transformou deixou a bebida e se fosse ele criaríamos um problema ainda maior,um presido para homens e outro para mulheres, ai teríamos mais um,  dois presídios um para abrigar o “joão” e o outro para o “muíé” ai seria o maior “Pappilon’ da historia. Hipótese 7 mais que descartada…

Tenho muitas mais hipóteses aqui mas confesso que não encontro motivos, tirando a arrecadação que pode aumentar de uma outra forma, com criatividade e disposição junto com a população, mas me disseram que tem gente la de cima ORLANDO o que esta acontecendo, o Zé Orelha em Pé…descascar essa laranja LIMA deveria ser com o Machado, espero que a população não fique com esse bagaço.

Não sei o por que do presidio até agora…e olha que tenho mais umas 200 hipóteses

Homenagem a prefeitos que no passado não trouxeram o presidio Orlando Seixas Rego, José Coimbra, Lúcio Machado Lima, Dr Arquibaldo…e tantos outros…

Charge: kayser.

A rabinha e o fole.

Soltar fumaça pela boca o sol surgindo baixo a terra se aquecendo da noite fria, a meia velha uma sobre a outra, ela caindo de um lado, a calça de moletom desbotada a havaiana marcando o v do dedão te do calcanhar tocando o chão marcando a meia a chinela foi reaproveitada pelo irmão mais novo, o calcanhar bem mais baixo o branco da parte de cima da sandália já se tornou da cor da sola, gasto pelo uso continuo formando agora a letra U no calcanhar, o moletom enfiado dentro das meias fazendo com que elas se sustentassem e firmassem para não cair, pela falta de elástico, o blusão do moletom sendo segurado pelas pontas dos dedos para proteger do frio as pequenas drosófilas não perturbam tanto próximo ao fogo.

O café é coado e depois depositado no bule a água foi aquecida em uma “rabinha” seu cabo esta girando onde se pega por isso o cuidado é redobrado para não “entornar” a água os estalos da madeira verde deixado ali desde ontem se faz notar, o fogo demorou a ser aceso, madeira verde é mais complicado foi preciso usar as cascas de laranja secas e que por sinal esta no fim, no fio esticado sobre o fogão essas são as ultimas.

As roscas foram retiradas das latas de alumínio ficam ali para preservar mais a umidade, agora sobre a mesa estão enroladas em panos de prato de algodão feitos dos sacos de açúcar, a manteiga feita da nata retirada dos leites esquentados depois retiradas e vão sendo guardadas para fazer a manteiga, o leite gordo também foi esquentado em um litro de alumínio reciclado de remédios que se dava ao gado, sua ‘asa” onde se pegava era feita de latas de óleo amassada e arrebitada no corpo daquele litro cortado o gargalo, a mesa ao lado tem fendas e buracos feitos pelo tempo de uso e as bordas marcadas pelo apertar das maquinas de moer carne e pimenta.

Os cães quietos com o rosto entre as patas da frente se esquentam no sol deitados em panos de chão, esperando alguém jogar um pedaço de pão. As roscas são mergulhadas em copos de massa de tomate alguns da Cica e outros de requeijão eram reaproveitados assim como as canecas de alumínio.

Mais uma manhã preguiçosa a geada que caiu ontem deve ter detonado com os cafezais pois a grama esta toda coberta de gelo. Vai ser preciso pegar o fole para ver se esse fogo pega…a fumaça da madeira esta enchendo a cozinha. -Credo a água da torneira esta um gelo, só mesmo esse fogo pegando para esquentar, esta muito frio…

-Moleque sai da beirada do fogão depois você  “me sai” nessa friagem e vai virar o rosto, cuidado você conhece o filho da Tianinha? ele virou o rosto…e até hoje fala com a boca virada.

Essa rosca esta muito boa , o biscoito de polvilho esta uma delicia, gosto dele assim bem grande, pois a manteiga pega melhor…

Dr Augusto era um “Sossego” só…(Presidio não)

Tivemos um em Ituverava, que era o “SOSSEGO” em  pessoa.

DKW estacionado a esquina da Euclides Barbosa Lima, sai de seu carro com aquela porta que abre ao contrario dona Lourdes, hoje em 2015 que importância e quem se lembra dela fumando seu maço de cigarros sem filtro, uma tosse longa, magra esguia ao seu lado estava o Dr. Augusto  que comandava o hospital São Francisco.

Sua caixa de lentes para consulta de cor vermelha, seus dedos enrugados com o amarelo da nicotina nas pontas seu semblante lembrando horas Chaplin e por não dizer Hitler, mas um bigode não pode traduzir um homem e nesse caso sua calvície  também era o oposto da Madre Tereza de Calcutá com toda sua cabeleira, mas nas atitudes eram parecidos, prêmio Nobel da paz seria também bem vindo a esse Medico, que  falava baixo quase inaudível, seus passos eram lentos.

Um otorrinolaringologista auxiliado por uma grande lupa que o ajudava a ler três a quatros livros ao mesmo tempo com idiomas diferentes, primeiro lugar na medicina, e ali em Ituverava, o  hospital  dava fundos a um enorme “pé” de canela.

Aos domingos paravam carros na sua porta para ver o Poy  jogar no  campo do Tigre do Ramal. Um homem que por muitos não  ficou esquecido e que era uma das melhores pessoas.  Super Educado. Eu quando adolescente era chamado de senhor por ele,  era a educação em pessoa, discutia sobre todos os assuntos de igual para igual, respeitando a opinião do outro e o grau de intendimento também. um grande médico de diagnosticar sem o auxilio de exames que temos hoje, fazia tudo de graça, quase não cobrava, vivia sem luxo, um grande homem que com certeza não esta no esquecimento de Ituverava e  no meu, um homem que fez tanto a muitos e não esta no esquecimento.

Lembrei outro dia de um outro conhecido, em um post do Maverick Amarelo ( Não confundam os mais novos com o fiquei: doce…doce…doce, com o Camaro Amarelo da musica, esta ai uma sugestão para Sossego, pode ser doce para a população revertendo a questão do presidio…não vai precisar gastar com o Camaro)

O “Sossego” nunca teve o meu desafeto, um cara inteligente e que espero no futuro também possa escrever sobre ele de uma forma diferente e melhor do que os outros estão vendo e falando a seu respeito. No post que citei acima disse o seguinte:

Vai o Homem fica o nome.

-Sossego esta em suas mãos virar a mesa e reverter essa de levar presidio junte-se a população e mire em deixar a cidade sossegada, una-se a população para arrecadar mais, novos planos para o turismo em Ituverava, posso estar falando bobagem, mas escute o clamor das ruas. E força… tudo é possível para aquele que crê, use todas as formas deixe a questão da arrecadação para o município através desse caminho, abra para toda a população a situação e se una a seus amigos os de sua cidade, para traçar novos caminhos.

Siga o exemplo do “Sossegado” Dr. Augusto Marques Lima, um homem para ser lembrado para sempre pelos seus feitos a população de Ituverava e um detalhe não era o Dr.Ituveravense. Ou você acredita que la na frente pode ser visto como um visionário e que o presidio foi uma boa escolha e que todos estavam errados que eram contra?

Não espere, não aposte, ouça…Dr Augusto não esta ai, para te ajudar a “ver” e “enxergar” “melhor”….agora é com seu coração…Força Prefeito.

Foto: Tribuna Ituveravense.

 

 

Boletim de ocorrência ou o do Fabiano?

Lembram dos boletins?

Não os que atualmente estão em moda…os de ocorrências; que agora feitos pela internet chamados de eletrônicos.

Falo dos boletins da escola onde vinham as nossas notas se fossem azuis  beleza já as vermelhas nos tiravam o sono, que depois foram trocados pelas cadernetas.

Dona Basílica , quando ouvia esse nome eu tremia mas confesso que depois foi umas professoras que mais gostei.

Ali ao lado da cadeia ficava a sua escola preparatória para prestar o” vestibulinho” uma prova que nos habilitava a ir para o ginasial, lado a lado estavam e bem próximos  os dois boletins o da Escola e o da cadeia

Não quero me prender aos fatos, não vou me prender nesse tema de Boletim de Ocorrência ou o da escola.

Mas também não vou me furtar em falar sobre a ter o rabo preso hoje vemos muitos com o rabo preso, vou me”desencanar “disso também tem muita gente em cana e outros precisando ir também para o xadrez..Essa gíria de estar em cana vêem do Latim “grades feitas de canas entrelaçadas”. No inglês um dos nomes utilizados para “prisão” é Jail, que tem a mesma origem da nossa ” jaula”.

Com tanta Cana na região e ainda querem trazer mais? E o pior que não da para “desencanar” do assunto que tanto” encana “a população.

Sei de muitas pessoas que estão em penitencias e até ai a coisa esta comprometida, penitenciaria tem sua origem no castigo na penitencia condenação.

Olham para o crucifixo e vêem o Cristo preso na cruz.

Quem nos libertara desse problema? esta tudo muito calmo, o povo esta Sossegado.

Realmente para todo o lado que corre você fica preso a esse assunto, quando vou “assuntar”me assusto de tantas coisas e barbaridades. Não vi a planta mas teria também no projeto “enxovia”? não pense que seria enxoval para os presidiários e muito menos o peixe do refeitório, mas esse nome é dado para uma prisão abaixo do nível do solo.

E os ergástulos? Eram locais onde as pessoas ficavam presas para trabalhar.

Será que isso é por ter o rabo preso?

Voltemos ao boletim que nota vocês dariam para essa ação de trazer o presidio para

Ituverava?

Ou vocês preferem fazer um Boletim de ocorrência? claro que não “né”mesmo?

Quem tirava nota azul com a dona Basílica tenho certeza que prefere o boletim da escola.