Filoxera atacou o parreiral do meu ser.

Vinho barato no copo falta do beijo na boca, o emblema da tragédia.

Emblemático o vermelho rubi ente seus dentes, a carie exposta, a língua comprometida, a fidelidade do vinho é a que fica, companhia certa, com qualquer preço, safra, uva, ele esta ali junto a você, o melhor amigo do homem é o vinho.

Quanto mais velho melhor para entender, que o vinho seja envelhecido ou novo ele te faz companhia, digamos que um asilo pode se montar com uma boa garrafa de vinho de boa safra e também uma mais recente.

No vinho esta a verdade hoje entendo a frase, sim, nele esta a verdade e a companhia em todas as situações, sendo você novinho ou velhinho, ele esta ali, junto a tí, fazendo a limpeza e mandando para fora a tristeza e conservando o seu coração isso se tiveres comedimento , se não..limpa da mesma forma.

Escorre no rotulo de minha garrafa o que escorre em meu rosto, por isso dizer no rotulo, no livro a pagina de rosto é a que trás o titulo ou a tragédia em que vive, seja na alegria ou na tristeza, o rotulo, o rosto, a pagina de rosto, corre a lágrima…

Se o vinho é mais sensível e mais robusto assim como o seu ser, as lágrimas serão mais acentuadas, se o vinho é “parrudo”, e se você é mais sensível as lágrimas denunciarão.

Na desconstrução do amor vale tomar no copo, esta ali o simbolismo, o emblema da ruptura, a linguagem do rito muda, o que resta são os bastidores dessa peça acabada, a companhia desfeita os atores indo para os seus lados, cada um para o seu canto, os velórios deveriam ser com vinho, tinto com alta graduação alcoólica, para assim se conectar com a natureza do ser.

Mais uma garrafa mais lágrimas mais cores, mais robustez mais engasto, mais mosto, mais fermentação, mais barrica, mais e mais..

o retrogosto do amor e tânico, e não desce redondo, ele é persistente, sem aveludado, teríamos que ter esperado mais para abrir, e eu aqui com o meu vinho de cantado e eu no canto sentado, observando as lagrimas… quem dera fosse mais gelado assim não sentiria a sensação alcoólica.

Quem dera que a verdade estivesse em você… quem dera que o amor você assim como o vinho..ou é..coisas do novo mundo, a margem esquerda do meu ser esta abalada…botritizada, mas na boca esta tânico um descontrole total, uma falta de estrutura e complexidade, um vinho totalmente desequilibrado..

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *