Mordidas na nuca, nunca é diferente, atras e na frente.

Sugo a sua veia, mordo em sua nuca, é inevitável o suspiro o grito.

Sugo a sua seiva, mordo em seu tronco, é inevitável o vento em suas folhas.

Sucumbi a teus encantos, em cantos em prantos não sou santo, em afagos te afogo.

Sempre o grito, o rito que desagua que sempre precisa…

A cama pronta assim como o corpo sempre pronto, eu a pronto no ponto aprumo o rumo.

Te consumo e sou consumido em novidade nunca o mesmo do mesmo nunca a esmo.

Diferente o mesmo os pontos mudam o resultado transfunda, as vezes na penumbra.

Incrível com você ainda se deslumbra a pegada na mão a pegada na …profunda.

Te vejo em sonho desnuda, te vejo e te sinto és única não se confunda e não me confundo.

A moral da historia é amoral e o sentimento, sentimental…sem ti, sem te tocar sem conto.

Sem você me perco, sem você não me encontro, sem você não existo….

E PRONTO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *