Multado por estacionar na vida e na contramão do amor.

Os segundos demoram horas para passar os minutos dias, e os dias não passam.

O que você viu no passado esta muito presente sem visão do futuro.

Você ali presente com sua mente ausente de onde esta e para onde vai.

A ausência de si, a ausência de você em mim se faz presente e se fazia no passado.

Presente esta o seu bufar..soltando ar…mostrando que não da para suportar.

Seu ar expelido pela boca violentamente, viola minha mente sofregamente e ela sente.

E se ressente com essa bufa recente…parece que não sente e nada tem de inocente.

Minha alma padece o meu espírito desfalece, parece que não amadurece.

E eu aqui em baixo colhendo os frutos verdes, que com seus taninos travam minha boca.

cerram-se os dentes que foram serrados pelo ranger, e por aquilo que me alimento de você

Melhor mesmo é o jejum assim me alimento do seu bufar, e ai é com o meu pneuma.

Minha Nefesh esta ferida, meu Rúach não caminha sobre as rochas quanto mais sobre as águas…o que dizer de meu corpo então…quem saberá?

Meu Rúach vaga, sem vaga no estacionamento da vida…uma zona. Azul?

E o meu papel qual é? – Amarelo…da multa por estar estacionado na vida.

Aguardando para ser guinchado e levado para o pátio do cosmos, sem bufar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *