Revelou-se a mim.

Atingir o momento o estado de revelação que se encontra em nós se faz pela junção de inúmeros elementos equações dos sentimentos.

Sentimentos são equações infindas que se somam em um único resultado vindo pelos questionamentos.

Elas se revelam de uma forma simples com uma sutileza incrível, elas estão o tempo todo ali a sua frente como uma flor sobre um obelisco… E gira à medida que giramos.

As brumas ocasionadas pelo nosso querer, o nosso pedir não nos deixa enxergar a sublimidade desse estagio.

Essa revelação simplória é frágil, por isso nosso sentido precisa se encontrar e estar na sua mesma faixa vibracional.

Como que se entrássemos nesse estado pós uma entrega de tudo, sem saber que ela poderia a vir se revelar, sem saber… Destituído de tudo de toda a FÉ.

Sem saber até que  estávamos a necessitar do acolhimento da energia do mais puro amor do que anima o nosso melhor. O estado de descrença e de falta de fé, de estar  perdido, sem ser escutado e sem amor não nos deixa enxergar e por tanto nos afasta do contato com o sublime.

Com certeza a dor e o afastamento da consciência. Ela veio a se revelar para me resgatar…

O encontro com inefável… A apresentação de um estado destituído do ego.

O Equilíbrio e tudo mais estão aquém dessa parede.

Ela esta em uma dimensão diferente da nossa, avistei por um portal simples, como uma fenda, uma janela.

O vermelho com alaranjado se faz presente como que a trama de um lençol de cetim abaixo de um tipo de flor que sintetiza tudo que é desprendimento e querência e dor.

A sublimação de tudo pela revelação de nada te atingir foi o que me falou ao coração.

Esse é o ponto. Nada pode nos atingir se ficarmos firme na lembrança dessa revelação

Que eu consiga continuar e que todos mais possam ter o mesmo encontro…

Que ela me fortaleça, daqui para frente…

Gratidão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *